Carreira

Profissões que não existem mais: 10 ofícios que foram extintos

Profissões que não existem mais

Você tem ideia de quais são as profissões que não existem mais?

Não dependemos da Telefonista para fazer uma ligação para outra pessoa, nem do Mensageiro para enviar uma mensagem. Mas, o que ambos têm em comum, além de serem profissões que não existem mais? Acompanharam a evolução, claro!

Assim como eles, nós também devemos acompanhar a transformação digital que fez algumas funções evoluírem, e outras ficarem no passado.

Quer saber quais dessas funções deixaram de existir por causa da tecnologia? Listamos 10 profissões antigas que não estão mais entre nós. Acompanhe!

10 profissões que não existem mais

Muitas profissões que foram extintas podem fazer a nova geração se surpreender, mas elas foram tão importantes para a época, como muitas funções tecnológicas são hoje para nós.

A seguir, a nossa lista de profissões que não existem mais, suas características e razões para terem acabado.

1. Telefonista

De 1876 até os anos 80, o papel da telefonista era intermediar uma ligação para outra pessoa, independente da localidade. Imagine a revolução em uma época onde a comunicação era apenas por carta, ou a pessoa tinha que se deslocar até o seu destino?

Pois essa é uma das profissões que não existem mais, já que não resistiu às novas tecnologias. Isso porque hoje você pode ligar para quem quiser através do smartphone e descobrir telefones com ajuda do Google.

2. Mimeógrafo

Se você teve aulas até os anos 90, deve se lembrar do cheirinho de álcool e do papel quente das provas, duas marcas deixadas pelo mimeógrafo, uma profissão antiga que não cabe mais hoje.

Afinal, mesmo que tenha deixado muitos órfãos do cheirinho inconfundível das provas, não podemos negar que a evolução tecnológica foi a melhor coisa que aconteceu: antes era feito manualmente, pelo operador de mimeógrafo, hoje é executado por uma impressora.

3. Mensageiro, uma das profissões mais antigas e que não existem mais

Quem viveu a época das fichas telefônicas nos famosos “orelhões” da cidade, acompanhou a evolução na forma de transmitir mensagens. Basta ouvir o alerta do seu aplicativo de mensagens preferido para ter uma dimensão da mudança.

Mas, antigamente, o avanço tecnológico era contar com um mensageiro humano para transmitir alguma mensagem por carta, principalmente em tempos de guerra. Inclusive, é uma das profissões mais antigas que se tem notícia.

Com o passar do tempo, os mensageiros passaram a usar o telegrama, fazendo entregas rápidas por moto ou por bicicleta. Hoje, seria muito demorado enviar um telegrama, quando você pode contar com o WhatsApp, por exemplo.

4. Datilógrafo

Antes que o computador ganhasse destaque nas empresas e residências, a forma mais tecnológica de transcrever informações para o papel, era por meio da máquina de datilografia.

Da mesma forma que hoje saber informática é o básico para um bom currículo, o candidato que não soubesse datilografar um documento, também perdia a oportunidade para a concorrência.

Então, para conseguir uma colocação no mercado de trabalho, as pessoas tinham que fazer curso de datilógrafo, uma das profissões que, hoje, não existem mais.

Profissões que não existem mais

Posts mais acessados:

5. Atores de rádio

Antes do podcast, já existiu uma forma muito moderna de contar histórias sem mostrar a cara: as radionovelas. Naquele tempo, os programas de rádio contratavam atores com excelentes vozes e ótima interpretação para dar vida a personagens de grandes histórias.

Porém, assim como as demais profissões desta lista, os atores de rádio não existem mais, mas nem por isso deixaram de atuar, apenas tiveram que se adaptar às TVs para conseguir um emprego.

6. Leiteiro

Houve uma época em que abastecer o leite nas casas das pessoas era função do leiteiro.

O leite era produzido entre famílias e havia uma pessoa encarregada de distribuir o produto nas casas das pessoas. Para não atrasar o serviço, as famílias deixavam vasilhames na porta para o leiteiro só chegar e reabastecer.

Essa é uma das profissões que deixou de existir para dar lugar às caixinhas de leite industrializadas.

7. Lanterninha de cinema

Os mais velhos certamente lembram como era frequentar uma sala de cinema: uma sala escura onde um profissional guiava as pessoas até seus lugares, usando uma lanterna – o que originou o nome lanterninha.

Além disso, o lanterninha era o fiscal da sala, evitando barulhos e tumultos durante a sessão de um filme. Não restam dúvidas, contudo, de que essa não era uma das profissões para pessoas calmas.

Posts relevantes: 

8. Cortador de gelo

Você já se perguntou como as pessoas faziam para preservar alimentos e bebidas congelados em uma época que não existia freezer? Elas contratavam um cortador de gelo, uma das profissões que não existem mais, mas era de suma importância em países frios.

O profissional, então, retirava cubos de gelo dos rios congelados e transportava-os para as cidades. No entanto, ainda no século XIX, vários lugares do mundo – mesmo os países mais quentes –, podiam refrigerar seus produtos com ajuda da geladeira.

9. Acendedor de poste

Você sabia que o Rio de Janeiro foi a primeira cidade do Brasil a receber a luz elétrica, no final do século XIX? Mas antes da invenção da luz elétrica por parte de Thomas Edison, em 1879, as ruas eram iluminadas por lampiões, um sistema de iluminação a gás ou óleo.

Isso gerou empregos para acendedores de postes, que acendiam os lampiões no fim da tarde e apagavam logo no início da manhã. Mas, assim como outras profissões desta lista, o acendedor de poste ficou para trás e não existe mais.

10. Radar humano (ouvinte de aviões)

O radar que você conhece hoje já foi executado de forma manual. Conhecido como ouvinte de aviões ou radar humano, o profissional que atuava nessa área tinha a missão de manusear uma espécie de trombeta sonora para detectar a aproximação de qualquer aeronave inimiga.

A geringonça foi bastante útil na Primeira Guerra Mundial, mas logo perdeu sua função para uma tecnologia de ponta: um radar automático, usado na Segunda Guerra Mundial.

Considerações finais

Essas foram as 10 profissões que não existem mais, ou que se aprimoraram para se adequar aos novos tempos.

Assim como eles, muitas profissões ainda vão sair de cena para dar lugar às profissões do futuro, por isso, vale a pena se aperfeiçoar ou aprender algo novo, para não sair perdendo nenhuma oportunidade de trabalho.

E você, é do tempo do lanterninha de cinema ou das provas feitas por mimeógrafo? Conta aqui embaixo para nós e relembre outra profissão que também deixou de existir!

Assuntos relacionados:

Deixe seu Comentário